Dra Nair Kobashi recebe o título de Cidadã Paulistana

Nair Kobashi - Cidadã Paulistana

A Dra Nair Yumiko Kobashi, cruspiana de '68, recebeu o título de Cidadã Paulistana em 19 de setembro de 2018. A seguir o discurso de agradecimento da Dra Kobashi no ato solene de entrega do título.

Exmo sr Antonio Vespoli, Vereador Câmara Municipal de São Paulo, amigos, amigas.

Boa noite. Estou muito grata à Câmara Municipal de São Paulo por esta honraria. Agradeço de forma especial ao vereador Toninho Véspoli. Muito obrigada Toninho.

Agradeço porque esta honraria permite manifestar publicamente minha gratidão a esta cidade que acolheu a mim e à minha família. Vivo aqui há 54 anos. Esta cidade me proporcionou experiências magníficas. Aqui comecei a descobrir o tamanho do mundo. Aqui fiz também meus melhores amigos.

Estão presentes aqui os companheiros ex-cruspianos. Minha segunda família. Vivi no Conjunto Residencial da USP de 1966 a 1968. Foi no CRUSP que compreendi a importância da democracia. Tive grandes mestres; ganhei consciência política. Participei com os cruspianos das lutas contra a ditadura militar. Lutamos juntos pela emancipação dos costumes, contra a censura às manifestações culturais, por justiça social.

O CRUSP foi fechado após o AI 5 por ser um centro de resistência ao conservadorismo político, educacional, cultural, social. Muitos de seus ex-moradores foram implacavelmente perseguidos pela ditadura civil-militar, foram presos, foram torturados. Muitos foram banidos ou foram condenados ao exílio. Muitos foram assassinados pela ditadura.

Companheiros cruspianos sobreviventes estão aqui presentes. Muito obrigada. A presença de vocês me emociona. Compartilho esta honraria com vocês. Também dedico esta honraria aos companheiros que perderam a vida na luta contra o arbítrio. Esta honraria pertence a nós.

Agradeço a presença das companheiras ex-presas políticas. O período de prisão política criou laços indestrutíveis. Lutamos, dentro da prisão, contra a violência do Estado. Sobrevivemos, vencemos. Não nos dobraram! E estamos aqui prosseguindo na luta por um país mais justo, solidário. Obrigada por sua presença, obrigada por estarem sempre comigo!

Agradeço a presença de meus alunos e ex-alunos de Biblioteconomia da ECA-USP.

Evoco o início de minha atividade como docente da USP, 36 anos atrás. Recém-formada, fui admitida na ECA-USP como auxiliar de ensino. Os alunos foram muito pacientes. Afinal, devo admitir, eu sabia muito pouco. Sócrates expressa bem a situação que me angustiava: "sei que não sei". Foram batalhas diárias para preparar aulas. Período  sofrido para os alunos, mas acreditem, duro para mim também. Estudei muito para poder ensinar.

Kant legou algo fundamental para os que se dedicam à docência: que é melhor aprender a pensar do que aprender pensamentos. Esse princípio guiou e ainda guia minha atividade como professora. É isso que procurei fazer. Mas, não tenho certeza de ter tido sucesso em ensinar alguém a pensar por si mesmo. 

Vocês foram e são os melhores alunos que um professor poderia desejar. Tive a felicidade de conviver com alunos conscientes da necessidade de defender a universidade pública, gratuita e de qualidade. Estivemos juntos, lado a lado nessas lutas.

Hoje os ex-alunos que tive são bibliotecários que lutam bravamente para manter a qualidade das instituições bibliotecárias. É um trabalho árduo porque as bibliotecas, embora cantadas em verso e prosa, são, na prática, relegadas ao esquecimento, tais como o são as demais instituições de memória deste país. Muitos ex-alunos abraçaram a carreira acadêmica. São professores das universidades do país. Então, queridos alunos e ex-alunos, obrigada por sua presença. Obrigada por dignificarem a profissão de bibliotecário.

Agradeço a presença dos companheiros professores da ECA. Somos parte da comunidade acadêmica que se coloca radicalmente contra a privatização da universidade. Opomo-nos à política atual que penaliza econômica e academicamente os docentes e funcionários. Agradeço imensamente a presença de vocês, colegas docentes e funcionários da ECA. 

Agradeço também a presença de meus filhos e familiares. Eles completam a minha vida. Devo a eles muito mais do que eles podem imaginar.

Finalmente, não desperdiçarei esta rara oportunidade para afirmar que: 

Não posso me calar diante da violência do uso das leis de forma conveniente apenas às elites. LULA LIVRE!

Não posso ficar indiferente aos assassinatos cometidos contra os que lutam por liberdade, por justiça social. MARIELLE PRESENTE.

Não aceito a louvação da homofobia, da apologia da violência contra a mulher, contra o pobre. Não me calo diante da louvação da tortura, dos torturadores e da morte aos opositores. Então, tenho que falar bem alto: ELE NÃO. ELE NÃO, DE JEITO NENHUM!!

Amigos queridos, a luta por democracia, por liberdade, por justiça é permanente! Não se pode esmorecer. Com vocês sinto-me forte para prosseguir. Mário Quintana disse:

AS COISAS, MUITAS VEZES, PARECEM, INATINGÍVEIS
MAS, ISSO NÃO É MOTIVO PARA NÃO QUERÊ-LAS…
QUE TRISTES OS CAMINHOS, SE NÃO FORA
A MÁGICA PRESENÇA DAS ESTRELAS.

E de vocês, amigos queridos. 

MUITO OBRIGADA  A TODOS!

**********************

A Dra Nair Yumiko Kobashi é bacharel em Jornalismo pela Universidade de São Paulo (1980), bacharel em Biblioteconomia pela Universidade de São Paulo (1978), mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (1988). Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (1994). Realizou estágio de pesquisa na École des Hautes Études en Sciences Sociales, em 1991, sob a orientação de Jean-Claude Gardin (diretor de pesquisas do CNRS). Professora livre-docente (Área: Análise documentária) da Universidade de São Paulo. Coordenadora adjunta da área Ciências Sociais Aplicadas I (CAPES), no período 2011-2014. Desenvolve atividades de ensino e pesquisa na área de Ciência da Informação, com ênfase em Organização, representação e recuperação da Informação, com foco nos seguintes temas: Elaboração e avaliação de vocabulários controlados (Tesauros, taxonomias e ontologias); Análise documentária; Indexação e resumos; Terminologia e linguagens documentárias; Estudos métricos da informação (Bibliometria e Cientometria) (Fontes: Currículo Lattes e Fapesp).